InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Bem vindo

Bem vindos!



Sejam bem-vindos!
Novato no fórum? Registre o seu personagem e crie sua ficha.
Bom jogo!
Calendário
DATA ON: 22 a 28 de Setembro de 2019.



» CLIMA: Nublado, gélido e sujeito a ventanias.
» ALUNOS: aulas (Duelos, Adivinhação e Runas Antigas). Festa do Pijama. ADULTOS: ações livres tanto no Castelo quanto no mundo bruxo.
Destaques

(Por ranking).

Sonserina - 79 PONTOS.

Corvinal - 74 PONTOS.

Lufa-Lufa - 30 PONTOS.

Grifinória - 5 PONTOS.



Links úteis

LINKS ÚTEIS.


» Trama.
» Regras.
» Avisos.
» Listas.
Parceiros
Quer ser Parceiro? Adicione nosso button e envie um email para accio.forever@gmail.com



Créditos


Créditos.


O Accio Hogwarts é um Fórum de RPG baseado nas histórias de J.K.Rowling. Sem fins comerciais. Todo conteúdo disposto no fórum - imagens, html e tramas - é de uso único e exclusivo do ACCIO HOGWARTS.

Compartilhe | 
 

 FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Orion Sanders
Gryffindor
Gryffindor
avatar

Mensagens : 502
Data de inscrição : 03/10/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Ter Jun 12, 2012 8:30 pm


I've loved and I've lost


Percebi, naquele momento da minha vida, que os meus pais tinham razão quando me diziam, com toda a seriedade que lhes era de costume, que eu tinha muito a aprender; sim, refletindo sobre tudo o que acontecera comigo, cheguei a conclusão de que eles estavam completamente corretos. Eu não sabia de nada! E, por isso, presumo, estou sofrendo como nunca – nunca mesmo! - pensei que um dia pudesse sofrer. Diante de todos os acontecimentos trágicos que haviam ocorrido nos últimos dias – a morte do meu tio, a perda súbita de memória da minha (ex) namorada -, fiquei sem rumo, perdido. No isolamento, descobri um anestésico; as mágoas não pareciam tão intensas e as lágrimas, embora ainda constantes, menos pesadas. Não era do tipo que expressava sofrimento. Tanto verbalmente quanto apenas emocionalmente; se há uma coisa que odeio é que as pessoas sintam pena de mim – até porque, claro, elas não tem razão alguma para sentirem; a compaixão é, sem dúvidas, um dos piores sentimentos que uma pessoa pode sentir pela outra, pois evidencia não só a sua própria fraqueza, como acentua as virtudes e a superioridade do próximo. A verdade era que tudo aquilo era bastante desesperador, pelo simples fato de não ter muito o que fazer. Meu tio estava morto e nem todas as lágrimas que pudessem sair dos meus olhos, traria-o de volta para vida; minha namorada estava desmemoriada e imagino que, por influência dos seus parentes – ou seu tio, sobretudo -, ela jamais daria a mínima para um garoto que fala, do nada: “olha, somos namorados”. Queria ter ido com calma. Queria.

Artemis tinha terminado comigo, depois que uma fofoca fora disseminada por todos os corredores do castelo, através da Rádio Corredor. Nunca me imaginei sendo um alvo de fofoca; meu estilo de vida sempre fora tão pacato, sou um garoto tão introvertido e reservado, que jamais dei brechas para que isso acontecesse. Veio em péssima hora, óbvio, mas novamente: estava de mãos atadas. Mesmo que eu soubesse quem fora a pessoa que distorcera os fatos, de forma venenosa, admito, não sei se faria nada demais a respeito disso; é uma brincadeira de mal-gosto e essa coisa toda, mas eu realmente esperava que Artemis me desse apenas uma chance para explicar. Ela sequer me deixara abrir a boca. Para quem está de fora, a facilidade em julgar, sem ter conhecimento dos dois lados da moeda, é absurda.

Incentivado por alguns colegas, decidi ir a festa de John, que aconteceria naquele sábado, sem aulas, no qual todos os alunos tinham sido dispensados pelo diretor. Todos eles garantiram que eu iria me divertir – talvez porque estivessem conseguindo enxergar a incerteza estampada no meu rosto. E se eu esbarrasse com ela por ali? O que eu faria? Ignoraria tudo aquilo e continuaria com minha vida sem ela? Porque, sim, eu estava assumindo para mim mesmo que aquela era uma história difícil; ainda não posso afirmar nada sobre a morte do meu tio, mas depois de ter feito uma descoberta surpreendente, ao vasculhar documentos do mesmo, minhas suspeitas tornaram-se fortes em Gerard. Prefiro crer que eu esteja enganado, e que isso somente seja fruto da minha implicância quase gratuita para com ele. Em todo caso, manterei meus olhos abertos.

Depois de pensar no convite, decidi ir a festa. Mais em consideração a John, que era um grande amigo. Não nego, no entanto, que tenho uma expectativa mínima de me divertir e me esquecer, temporariamente, de todos esses problemas complicados. Peguei a única fantasia que tinha no armário. Usei-a há dois anos atrás, em uma festa de Halloween. Nada de muito assustador – tanto é que a maior parte das pessoas não sabia sequer o que aquela roupa significava. Nem eu, pra falar a verdade. Como nerd que se admira como qualquer coisa, achava aquela fantasia legal e ponto. Os efeitos que ela provocava, quando em ambiente escuro, eram fascinantes aos olhos; alguns símbolos se destacavam no tecido preto da mesma, produzindo um brilho especial.

Fiz o caminho para a casa de John, sem muitas delongas. Ao contrário da maioria, não trazia presente (não que eu tivesse esquecido, apenas precisava de um pouco “mais” de tempo para pensar em algo interessante). Cumprimentei o aniversariante, que estava ao lado de Justin, e me afastei do grupo que se formara, rapidamente, ao redor. Nesse meio tempo, meus olhos – involuntariamente, vale ressaltar – encontraram Artemis. Ela estava... hm... diferente. Nunca tinha a visto daquela maneira. Nunca, mesmo! E não me refiro somente a sua fantasia ousada, que deixava boa parte do seu corpo bem cuidado à mostra. O seu comportamento já não parecia ser o mesmo. Era como se aquela garota não fosse mais a Artemis que eu conhecia. Não sei se a falta de memória justifica isso. Até porque, aliás, pelo que soube, ela ainda consegue se lembrar de metade do castelo. Gemi levemente quando senti o meu corpo se chocar contra outro. Desviei os meus olhos para a pessoa na qual tinha esbarrado.

- Ugh. Me desculpe. - meus olhos checaram a garota de baixo a alto. Antes de enfim, encará-la no rosto, pensei que se tratava de apenas uma dessas garotas fúteis; cheerleaders. Sim, cheerleaders gostam tanto de ser cheerleaders, que eu não duvidava que até ali se 'fantasiassem' como tal. Felizmente, não era. Era Lizzie, minha companheira de casa, e irmã do aniversariante. Soltei um suspiro avaliado e sorri levemente, demonstrando ainda um pouco de desconcerto. - Me desculpe mesmo, Lizzie.. Eu estava distraído. - e ela não precisava saber com o quê. Não acho que ela era do tipo de querer saber, também. De qualquer modo, continuei, sem que lhe desse muita abertura para me interromper. - Você está irreconhecível! - estava acostumado a vê-la apenas em trajes de quadribol. Talvez fosse por isso. Ri brevemente. - Não sabia que era fã de cheerleaders. - acrescentei, brincalhão. Um silêncio (quase que proposital, culpa minha) se estabeleceu entre nós dois e, depois de desviar os olhos enésimas vezes, fitei-a novamente. - Está esperando por alguém? - “ou posso te fazer companhia?”. Sou um garoto, é verdade. Você provavelmente deve estar pensando que essa pergunta tem um fundo de interesse. Lamento te informar, mas não. Acho que ainda sei cuidar de mim mesmo, sem a ajuda de uma garota, se é que vocês me entendem.



06/04 & 09:00 AM



citados muitas pessoas | falou com lizzie!
post 001.
fantasiaaqui.
notas DEFININDO O POST EM DUAS LETRAS: C-U = C+U = CU. Paty, se precisar que edite alguma coisa, é, mp. Randomizei geral com o Oritchebs agora.


criado por Giulia @ Ops!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Chloe D. Angel
Gryffindor
Gryffindor
avatar

Mensagens : 2907
Data de inscrição : 19/07/2011
Localização : Na tua cama -.-

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Ter Jun 12, 2012 10:17 pm

A festa estava começando a ficar mais animada depois que chegou mais gente e tudo ficou com um ar de que todos estavam aprontando entende? As fantasias também estavam extremamente criativas, Jane e a corvina (Artemis) estavam com fantasias muito bonitas também. Bato o olho em Albus percebendo a fantasia ou roupa normal dele – Hã, Albus, você está vestido de...? – Olho de lado para ele esperando uma resposta.

Me viro para Artemis após ela falar comigo – Ah sim, já te vi antes mas nunca falei com você – Ri – Sou Chloe! – Dá outro sorriso. Olha em volta para ver quem mais tinha chegado voltando sua atenção para os companheiros – Você está linda de sherazade, Temis! Sinceramente, eu decidi vim para esta festa de última hora e acabei pegando qualquer coisa no fundo do armário, dá para perceber pela orelha de Minnie amassada – Ri ajeitando a tiara e batendo na ponta do vestido para desamassar, vejo Jane se levantando e diz enquanto ri com a resposta da mesma – Tem razão Jane, você é uma pessoa em que uma caixa inteira de Whisky fez efeito! – Passa o braço esquerdo pelo pescoço de Jane lhe dando um abraço logo depois de ser beijada.

Vejo outra garota chegando que dá um beijo em Artemis e logo ela parece reconhece-la. Mantenho o sorriso dizendo – Oi Tine! – Quando a garota vê Sev junto parece ficar um clima estranho, tenso e Jane e Temis pareciam ter percebido a mesma coisa. Eles já deviam se conhecer e pelo visto eu tinha perdido muita coisa desde quando dei uma afastada da escola – Er, então, vocês já se conhecem? – Digo tentando quebrar o clima junto com a garota.





Citei: Muita gente!
Falei com Sev, Temis, Jane e Tine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Elizabeth Mason
Aigam
avatar

Mensagens : 1054
Data de inscrição : 29/06/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qua Jun 13, 2012 2:31 am

De verdade, pessoinhas amadas de Lizzie, eu já estava cansada de ficar ali recepcionando as pessoas, agradecendo suas presenças, recebendo os presentes do meu irmãozinho amado e querido, porém, ciumento e super protetor. Sim, garotas, não se iludam: John Mason tem defeitos. Te desiludi? Não precisa me agradecer!

O fato é que eu estava cansada já daquele meu momento hostess, eu também merecia aproveitar aquela festa, depois de todos esses dias tão tensos na minha vida, com tantas coisas inexplicáveis acontecendo precisava me divertir. Falando em diversão, o MEU convidado ainda não havia chego, bem... pelo menos ele não havia entrado por ali. Pensando nisso comecei a procurar por ele na multidão e foi no exato momento em que alguém esbarrou em mim. Incrivelmente, apesar daquela barulheira toda, fui capaz de ouvir.

Orion escreveu:
- Ugh. Me desculpe.

- Não foi na...- não completei posto que reconheci o garoto e logo abri um sorriso. Meu bom Merlin, John conseguira tirar o garoto da toca? - Orion! Que bom ver você aqui, garoto! - sorry, mas gatinho é apelido unicamente do meu Liam.

Orion escreveu:
- Me desculpe mesmo, Lizzie.. Eu estava distraído.

Olhei na direção de onde supostamente ele desviava e me deparei com um grupinho bem animado do qual faziam parte, o pequeno Sev (irmão do meu Six), Chloe (que era da minha casa), Pink girl (um arraso naquela fantasia burlesca) e Artemis (UOW! Gostei da fantasia...), voltei meu olhar para Orion - Imagino que sim - dei um sorriso cúmplice. É claro que eu sabia do que tinha acontecido com eles e sentia muito mesmo. Eram um casal tão fofo. Coloquei minha mão esquerda no ombro dele e expressei isso em palavras. Sei lá, acho que essas coisas são importantes de se dizer. - Aliás, sinto muito pelo o que houve com vocês... eu tipo, era fã de vocês, achava os dois muito fofos...- era hora de mudar de tópico né? Chega de constranger as pessoas, Lizzie! - Gostei da fantasia! Ficou muito bem em você! - elogiei

Orion escreveu:
- Você está irreconhecível!

- Não é? - dei uma voltinha e agitei os pompons, porque, sim, meu bem, Elizabeth Aileen Lefèvre-Mason, é dessas!

Orion escreveu:
- Não sabia que era fã de cheerleaders.- o encarei com uma expressão interrogativa, afinal o que ele queria dizer com aquilo? Tanto que eu nem soube o que responder. Felizmente ele mudou de tópico. - - Está esperando por alguém?

Na verdade eu estava mas sejamos sinceras, eu nem sei se o sr Dante viria, afinal ele era o Guarda Caças em Hoggy e pelo que eu sabia, todo o corpo docente de Hogwarts tinha sido convidado pro tal jantar de bodas de qualquer coisa da Ministra e não sabia SE ele tinha ido, logo antes que o silêncio se prolongasse mais, respondi, mantendo o sorriso (CLARO! Senão não seria eu né?) - Não. Já terminei meu turno de hostess da festa...- pisquei - me dá a honra da sua companhia, Sanders? - não, isso não era uma cantada - Posso te mostrar onde está a diversão... meu irmão organizou umas coisas legais no segundo andar - e não, eu não me referia as strippers. Orion não me parecia do tipo que curtia essas coisas sabe? Me referia as outras diversões. - E então... o que me diz, Sanders? Prometo que serei uma companhia excelente... - sorri com o ar mais angelical possível.


Falei com: Orion. Citei: Liam-meu Gatinho, John - meu irmãozinho, Pink, Chloe, Temis, Dante. Precisando que eu edite...já sabe.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Orion Sanders
Gryffindor
Gryffindor
avatar

Mensagens : 502
Data de inscrição : 03/10/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qua Jun 13, 2012 10:15 pm


I've loved and I've lost


Lizzie lamentou o fato de eu e Temis termos nos separado; termos era a palavra incorreta, eu sei, já que fora ela quem “decidira” pôr fim ao nosso relacionamento, mas ainda assim, a espectadores que desconheciam o desfecho da nossa história, a versão era aquela. Não fora a única. Muitas pessoas também haviam comentado comigo que era uma lástima que estivéssemos, não só solteiros, como bem afastados. Na condição em que ela se encontrava, eu não tinha sequer a pretensão de ser um amigo; não cometeria os mesmos erros do passado. Não que eu tenha considerado a minha amizade dela, que antecedera ao nosso namoro relâmpago, um erro, mas sim algo que demorara bastante tempo para ter uma conclusão; não sei se a culpa foi minha ou dela – ou de ambos -, e isso não importa atualmente. O fato é que revendo tudo o que aconteceu conosco, sei que não teria – ou melhor, não tenho – estruturas para vê-la engatar um romance com outro cara qualquer. Se eu não poderia ser o seu namorado (novamente) ou seu amigo, preferia manter, pelo menos, um convívio harmonioso com ela. Talvez todos esses pensamentos sobre o meu futuro sejam demasiadamente precipitados, tendo em vista que eu não tive ainda uma oportunidade para conversar com ela e colocar os pingos nos is, porém acredito que não deixem de ser bastante válidos. Eu... hm... apenas quero que isso tudo termine bem, sabe?

Percebendo o meu constrangimento instântaneo ao tocar no assunto, Lizzie mudou o foco da conversa, elogiando minha fantasia, diferente das demais. Achei uma grande gentileza por parte dela, porque, olha... nem era tão boa assim. Sorri levemente. Retribui o elogio, pontuando que eu jamais imaginaria vê-la vestida como cheerleader. Por fim, perguntei se ela estava esperando alguém. Nunca foi muito difícil de reparar que sou uma pessoa absolutamente azarada. Certamente ela deveria estar; Lizzie era uma garota linda. Não à toa se via inúmeros garotos correndo atrás dela – e conseguira, em certa época, até mesmo conquistar o 'capitão', aka Liam. Pensava que ela mentiria, mesmo que se, de fato, estivesse aguardando por alguma companhia. Pessoas faziam isso para ser legais umas com as outras, certo? Acho que eu, no lugar dela, também faria o mesmo. Divagando por essa suspeita estúpida, ouvi Lizzie me responder. Sim, ainda que eu estivesse ligeiramente desatento, em outra galáxia, fui capaz de ouvir a sua voz doce, já que a mesma me chamara por “Sanders”. Bem, eu não gosto disso. Às vezes sinto que por dentro, sou como um ancião velho: cansativo e chato. Quando pessoas íntimas me chamam por Sanders, isso só se confirma. Me sinto péssimo, para ser sincero.

Ela me convidou para subir ao segundo andar. Franzi levemente a testa, sem deixar de sorrir com a proposta.

- Eu não tenho dúvidas de que será uma companhia excelente, Lizzie. - o sorriso logo se transformou em uma risada curta. - Mas eu conheço bastante o seu irmão, para saber que a palavra legal, no vocabulário dele, está diretamente associada a perigo. Não me surpreendo na verdade. Ele é amigo de Justin, afinal. - não entendam isso como uma crítica, apenas uma consideração. Eu simplesmente adoro John. Para mim, ele é o cara. Faz tudo o que eu deveria fazer, mas não consigo. Basicamente, ele é a pessoa em que eu (quase) sempre me espelhei. Depois de forçar uma expressão pensativa, sorri abertamente. - Tudo bem! Eu aposto que isso vai ser bastante divertido. E é isso o que estou tentando fazer há dias. - não mentia. Descontrair um pouco seria ótimo. Quem sabe eu finalmente conseguiria os meus tão desejados minutos de lazer? No more drama. - Vamos? - estiquei um dos meus braços para ela. - Se não se importa, prefiro que seja assim. Eu ficaria muito desapontado se algum carinha te roubasse de mim, no meio do caminho. - pisquei, de modo brincalhão.



06/04 & 09:00 AM



citados muitas pessoas | falou com lizzie!
post 002.
fantasiaaqui.
notas Como fazer um cu. Receita: 1 - três milhos incrustado' da bunda. 2 - falta de talento. 3 - dois posts do mateus. ENFIM, SHIPPANDO ORYZZIE AGORA.


criado por Giulia @ Ops!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lily Luna Potter
Gryffindor
Gryffindor
avatar

Mensagens : 2253
Data de inscrição : 05/10/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qui Jun 14, 2012 7:13 pm

    FESTA!!! Essa é a palavrinha mágica que me tirou do meu espírito de chatisse absoluta para alguém no mínimo legal, e também, acha mesmo que eu eu iria perder a chance de ir? É uma festa, e o diretor liberou todos, isso mesmo TODOS os alunos para irem a festa, não serei a estraga prazeres que não irá comparecer à festa.

    Admito que estou longe de ser a "melhor" amiga de John, mas conheço o garoto e bom, por mais que não soubesse ao certo o que dar de presente, eu resolvi usar o mesmo método que uso para comprar presentes para meus irmãos, comprei algo que eu gostaria de ganhar, afinal, se ele não gostar, ele sempre pode devolver.

    O dia da festa havia chegado, tomei um banho demorado e comecei a me arrumar para a festa, logo coloquei a blusa listrada de vermelho e branco, e o short azul marinho, com um aceno de varinha meu cabelo estava seco, não demorou muito para que eu começasse a me maquiar, os lábios estavam com um batom vermelho, os olhos delineados com um lápis preto, nas bochechas um blush, coloquei o chapéu e sorri para meu reflexo no espelho. Prendi a varinha no short e logo coloquei as sandálias, estava pronta pra festa.

    Sei que Albus e James não iriam gostar muito da minha fantasia, afinal eles sempre encontravam algum defeito, por eles eu usaria uma burca isso sim. Mas eu tinha esperança de que meus irmãos estivessem bastante distraídos com as outras garotas para se preocuparem com as minhas roupas.

    Assim que cheguei na festa vi que algumas pessoas já estavam ali, não demorou muito tempo para que eu visse o aniversariante, me aproximei do garoto lhe entregando o presente.

    - Feliz Aniversário - falei com um sorriso e não demorou muito para que a atenção do aniversariante fosse desviada, fui até a mesa de bebidas e peguei um copo de cerveja amanteigada e fiquei olhando os alunos que chegavam a procura de alguém para conversar.

    Fantasia
    Presente
    off: aberta para interações
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Elizabeth Mason
Aigam
avatar

Mensagens : 1054
Data de inscrição : 29/06/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qui Jun 14, 2012 8:10 pm

{LET'S HAVE A PARTY!!!}

O tempo em que Orion demorou para responder a minha proposta fez com que eu temesse que ele dissesse um sonoro não e me deixasse com cara de tacho ali, certo? Tá, tudo bem que eu não ia ficar muito tempo com cara de tacho mas o fato é que não lido bem com rejeições. Todavia para a nossa alegria, ele aceitou minha proposta decente de diversão!

Orion escreveu:
- Eu não tenho dúvidas de que será uma companhia excelente, Lizzie.

- Claro que sou! Por favor, eu sou uma Mason! – brinquei, afinal Masons eram sinônimo de diversão, UHUL! De toda forma, Orion logo emendou

Orion escreveu:
- Mas eu conheço bastante o seu irmão, para saber que a palavra legal, no vocabulário dele, está diretamente associada a perigo. Não me surpreendo na verdade. Ele é amigo de Justin, afinal.

Eu ri com o comentário do garoto porque convenhamos era o que a maioria das pessoas achava isso também, não que eu concordasse e fiz questão de exprimir isso em palavras porque se você conhece minimamente Elizabeth Mason, sabe que eu costumo dizer tudo o que penso não? – Até que faz sentido isso, Orion! Mas não se preocupe eu prometo que não te levo para o lado escuro da força... – mais uma risada divertida, ao associar isso as strippers e completei – levarei você para as diversões tipicamente trouxas que eu adoro... – fiz aquela expressão de ‘ah, por favor, diz que sim...vai?’ e acho que funcionou porque depois de uns segundos ele finalmente se decidiu

Orion escreveu:
- Tudo bem! Eu aposto que isso vai ser bastante divertido. E é isso o que estou tentando fazer há dias.

Bati palmas, ou se preferir, um pom pom no outro e disparei um – Ótimo!!!! Eu GARANTO que vai se divertir – humildade pra que né? – Já jogou sinuca? É um jogo trouxa fabuloso... – foi quando num gesto que eu, Elizabeth Aileen Lefevrè-Mason, classifico como cavalheiresco, Orion me ofertou seu braço para que eu o acompanhasse.

Orion escreveu:
- Vamos?

- Claro – mantive o sorriso e enganchei meu braço no dele, no mesmo instante em que ele arranjava uma explicação para o gesto. O que achei fofo, vamos dizer.

Orion escreveu:
- Se não se importa, prefiro que seja assim. Eu ficaria muito desapontado se algum carinha te roubasse de mim, no meio do caminho.

Ele deu uma piscadela e, confesso, estava surpresa que ainda não tivessem caído matando em cima dele. Ah vocês sabem, piriguetes adoram isso! Bastam ver um cara (e nem precisa ser solteiro) e já estão lá se oferecendo. Deplorável, se quer a minha opinião. Enfim, respondi, dando um ar de surpresa a meu rosto – Ohhh... eu não sou tão inconstante ou requisitada assim, Orion...- e completei - E não dispenso facilmente companhias tão agradáveis.

Seguindo na minha narrativa, subimos para o segundo andar e não foi nada fácil fazer isso com a casa tão apinhada, Johnny precisava mesmo ter convidado toda Hoggy?! E assim que chegamos lá, onde estavam as mesas de pebolim e sinuca me aproximei de uma de sinuca (CLARO) vazia e brinquei – Bem... mesa de sinuca, bolas e tacos, este é o Orion que vai perder pra Lizziezinha aqui, Orion estas são a mesa, as bolas e os tacos. O jogo é simples: quem derrubar a maior quantidade de bolinhas nas caçapas, vence. – peguei um dos tacos nas mãos – A simplicidade trouxa não é o máximo? – comentei antes de continuar a explicação – A ordem de quem encaçapa as pares e impares é dada assim que alguém acerta a primeira bola. Dúvidas? – enfim, eu era boa (?) explicando essas coisas...kkkkkkkkkkkkkk.

Começamos a jogar e os minutos foram se passando até que meu olhar fosse atraído por uma figura conhecida que nos observava recalcitrante. Há quanto tempo estaria ali? Arqueei as sobrancelhas e não demorei muito para sacar o que a pessoa esperava, fiz a minha parte – Orion , você me aguarda um minutinho? Vou buscar algo bebível... quer? Posso trazer pra você...- Lizzie sempre prestativa! Olhei ao redor e fingindo muito bem surpresa - Temis! Que bom que está por aqui! Não quer ficar no meu lugar um minutinho, enquanto eu busco algo pra beber? O Orion pode te explicar o jogo... – sem dar tempo a nenhum dos dois para me responderem, entreguei meu taco pra garota e sai com um – Volto num minuto e, a propósito, adorei a fantasia! – pisquei pra ela e desci. Vai dizer que eu não era um bom cupido?


OFF: Falei com Orion e Artemis (ferevahaloneever). Adiantando as ações... Adendo: Orion, eu volto! Vestida :assim.
Outro ângulo da fantasia.
Precisando que eu edite, já sabe!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Artemis Erdenko
Aigam
avatar

Mensagens : 1150
Data de inscrição : 29/06/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Sex Jun 15, 2012 3:55 am

Bem, ali estava eu, cercada de pessoas que eu gostava e das quais lembrava. Ok, a Chloe eu acabei de conhecer efetivamente mas fui com a cara dela. Respondi a pergunta da Janezita -linda, sobre eu estar bem e respondi amável e sem gritar apesar da altura da música - Estou bem, um dia de cada vez foi o que me disseram...- mantive o sorriso também quando ouvia as palavras de Chloe - Ah mas eu pretendia vir homenageando minhas origens- breve pausa antes de completar - de cigana... - sorri - mas então pensei que talvez as pessoas não entendessem bem e que houvesse mais comentários desagradáveis a meu respeito - conclui sem graça. Sim, esses comentários haviam me afetado e me custado minutos preciosos de sono.

Outra coisa que notei nesse grupo seleto que se formou ali foi a antipatia palpável de Tine para com Sev, havia eu perdido alguma coisa aqui? Certamente tinha! Felizmente, para minha alegria, Chloe, expressou nossa surpresa em palavras, perguntando se os dois se conheciam. Bem, pelo menos pra mim, Augustine não tinha dito nada. Se bem que nos últimos dias tinha me mantido distante dela, nada pessoal... eu apenas me sentia mal quando ela me "cobrava" por eu me manter distante do Sanders, ou questionava por quê eu não lembrava dele e lembrava de, praticamente, todo o resto do castelo. Em uma dessas vezes, confesso, tinha até lhe respondido mal sobre isso, afinal se eu pudesse escolher entre esquecer do professor Salvasen e sua matéria ou do Sanders, quem vocês acham que eu escolheria? Bem...foi isso que indaguei da minha prima.

Aliás, falando nisso, num determinado momento das nossas danças, conversas, etc, o vi. Como assim quem? Com certeza não estou me referindo ao Papa... U_u . Estou falando do Sanders que subia as escadas acompanhado e de braços dados com Elizabeth, a irmã caçula de John. Não posso negar que meu coração se apertou com aquela visão e, de repente, aquela festa se tornou cansativa demais sabe?

Os minutos se sobressairam uns aos outros e eu, por mais que tentasse, não conseguia esquecer a cena dos dois subindo, juntinhos e essas coisas... Foi aí que decidi seguir os conselhos de Helga e ir falar com ele. Bem, eu tinha muita coisa a meu favor: tinhamos muita gente ali pra alguém prestar atenção ao fato de eu estar falando com ele, tantas pessoas assim distrairiam Tine (afinal eu não queria que ela sem querer comentasse isso perto do meu tio) e depois de cogitar mais uma ou duas coisas, me afastei do 'meu grupinho' com uma desculpa qualquer, pedindo que Tine me esperasse ali, que não me demoraria... e depois de me embrenhar entre aquele mundo de pessoas, subi as escadas que davam acesso ao segundo pavimento da casa. Procurei pelos dois e não demorei a encontrá-los, eles pareciam estar se divertindo e vacilei na minha decisão. Talvez não fosse uma boa hora, talvez eu devesse esperar para falar com ele em Hogwarts e já me preparava para voltar para perto da minha prima quando o olhar de Elizabeth pousou sobre mim e segundos depois ela começava com uma encenação (eu, pelo menos, percebi se tratar de uma). Ela falou com o Sanders e comigo, mas não prestei muita atenção ao que ela dizia porque, contrariando minha decisão de me manter neutra e tudo mais falhou. Fiquei ali parada, feito uma perfeita idiota (se o sr V. me visse assim ia querer me matar, tamanha decepção) e só voltei a mim quando Elizabeth me entregou um...o que era isso mesmo? Enfim, não importa. Ela me entregou isso e saiu, toda sorridente. Acompanhei a saída dela com o olhar e assim que voltei a encarar o Sanders, suspirei, não tinha mais como fugir certo? Certo. -Il ne peut pas être si difficile ... alors- murmurei antes de me dirigir a ele - Err... Orion ? - estranho não chamá-lo de Sanders... me aproximei dele. - Posso falar com você, prometo que não vou demorar... - aguardei alguma reação da parte dele e prossegui, absolutamente sem graça porque eu não tinha assim tanta facilidade para pedir desculpas ou admitir que eu tinha agido mal com quem quer que fosse e se levássemos em consideração que a simples presença dele me causava... bem, eu não sei explicar... Talvez Soph e Tine estivessem certas, talvez o coração, ao contrário da mente, não esquecesse não é? Coloquei o taco apoiado na mesa e prossegui, fitando-no nos olhos, porque mamãe sempre disse que é assim que se pede desculpas sinceras.- Bem... eu quero te pedir que me desculpe pelo modo como agi com você quando descobri... - ia dizer que você era meu namorado mas considerei pesado demais - Eu sei que as coisas não estão sendo fáceis pra você, soube do seu tio pela srta Stanford durante minha última visita ao St Mungus e...bem... eu sei como é perder as pessoas que a gente ama... - baixei o olhar antes de prosseguir e dei um leve pigarro, porque a simples lembrança de que eu não tinha mais ninguém das pessoas da minha família de quem me lembrava era difícil. Respirei fundo antes de prosseguir - Bem, o que eu queria pedir é que me desculpe, Orion. Por te fazer passar por isso, por não lembrar de você. Desculpa mesmo mas eu não sei explicar isso... E sei que aqui talvez não fosse a hora ou lugar certo para falar do assunto mas era a minha única chance... Aqui ninguém está prestando atenção em nós, logo ninguém vai contar ao meu tio sobre isso, porque ele não pode nem sonhar que eu esteja falando com você, ainda que eu discorde dele de que você é uma má influência e...- voltei a fitá-lo - Acho que já estou falando demais e tomando seu tempo demais também... Enfim, eu só queria que você soubesse que, ainda que não aparente, eu me sinto tão mal por tudo isso, tão cansada de tentar lembrar de tudo e fracassar...- mais um suspiro pesaroso antes de concluir - Então se você pudesse ser generoso a ponto de me desculpar eu ficaria muito grata... de verdade. - Bem, sendo sincera, eu não esperava que ele o fizesse assim, prontamente. Eu fui tão estúpida com ele, se fosse o contrário, eu não me desculparia mas se ele tinha sido meu namorado, devia ter algo de bondade dentro dele, não? E era pra essa bondade que eu apelava.


*** Falei com: Orion.
*** Citei: Lizzie (nem preciso dizer que sou forever alone né?), Jane, Augustine, Chloe, John, Gerard, Chloe (SC), Helga (NPC), Vishous (sr V.) e Albus.
*** Tradução do que a Temis disse: Il ne peut pas être si difficile ... alors= Não pode ser tão dificil assim...
*** Sobre edições, já sabem!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lion Owena Griffiths
Ravenclaw
Ravenclaw
avatar

Mensagens : 214
Data de inscrição : 03/07/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Seg Jun 18, 2012 6:14 pm

Live and let live

Diante de tanta coisa que estava acontecendo e que tinha acontecido na minha vida acho que um pouco de diversão era justo né!?! Falando em diversão a festa do John tinha caído como uma luva, eu precisava realmente de algo par ame distrair e me animar.

Combinei de me encontra com a Rachel na festa e após falar o com o aniversariante, procurar a Rachel que pela hora já deveria esta na festa. Não demorou muito ate o que eu tinha pensado se confirmar, ela estava ali sim e estava maravilhosa e era obvio que assim que me aproximei da garota lhe disse o quanto ela estava perfeita, e verdade seja dita as ideias que ela estava me dando , ideias pervas por sinal. Ela se virou passando os braços ao redor do meu pescoço com um sorriso maroto no rosto que eu cada vez mais adorava. - Você tem noção do perigo que acabou de correr me surpreendendo desse jeito, Griffiths? – eu dei um sorriso sem vergonha – serio!?! Para seu governo eu adoro o perigo principalmente se trantando de você, linda! - aproveitei então para me desculpar pelo meu atraso e esperava sinseramente que me perdoasse, afinal garotas como a Rachel sem duvidas era do tipo que detestava esperar. - Tudo bem, eu posso pensar em várias maneiras de você se redimir - ela então se afastou um pouco me olhando décima a baixo. - Acho que você é o Pirata mais sexy que já vi. - ta ela falando desse jeito minha “modéstia” nem ia me fazer me achar mais do que eu me acho. – então aproveita que é exclusivo seu ! – disse em quanto ela se aproximava e sussurrava em meu ouvido. - Tô pensando seriamente em usar minha autoridade pra abusar de você. - sabe alguém que deixou de pensar, esse foi eu quando ela mordiscou minha orelha e começou a beijar meu pescoço, meu ponto fraco isso é fato, ta era obvio que eu adorei principalmente quando os lábios dela chegaram ao meu, e gente que beijo em , aquilo sim era um ótimo jeito de começar uma festa. – eu iria adorar que você usasse de sua autoridade...ate deixo me algemar – disse com um sorrio maroto e voltando a beija-la novamente.

Post: 002; Musica: Live And Let Die- Guns N' Roses; Notes: fato n cuiti meu post =/ qlqr coia amore me grita e eu edito ... Fantasia do Lion


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Anastásia N. Romanov
Hufflepuff
Hufflepuff
avatar

Mensagens : 87
Data de inscrição : 06/06/2012

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Ter Jun 19, 2012 1:48 pm

    O lado ruim de ser a aluna nova é que você não conhece ninguém, mas fica sabendo de uma festa e acredita ser uma oportunidade incrível de conhecer as pessoas, eu particularmente prefiro conhecer pessoa em uma festa do que na sala de aula, e como o diretor havia liberado todos os alunos, não vejo motivo para que eu não fosse.

    Eu não fazia ideia do que dar de presente para o aniversariante, não sabia do que ele gostava e o que o garoto não suportava, resolvi apostar em doces, qualquer pessoa normal gosta de doces e logros, ao menos assim eu esperava. Passei a manhã toda em três lojas a Dedos de Mel, Zonko's e Gemialidades Weasley, consegui fazer uma caixa bem completa dos mais variados artigos que encontrei e bom, eu esperava que o garoto gostasse.

    Gosto de histórias trouxas de super-heróis eu reconheço esse meu ponto fraco, tenho uma coleção enorme de quadrinhos, de dar inveja a muitos garotos se me permite admitir e isso me ajudou bastante ao decidir qual seria a minha fantasia para a festa, uma das minhas personagens favoritas.

    Tomei um banho e logo me vesti, afinal precisava sair junto com alguém, já que não fazia ideia de onde era a festa, vesti um macacão de couro preto tomara que caia, calcei um par de botas pretas também de couro, com um feitiço fiz aparecer um rabo e orelhas de gato, passei uma maquiagem leve e sorri para o meu reflexo no espelho, estava simples, porém eu havia gostado, guardei a varinha em um bolso imperceptível do macacão, prendi os cabelos em um coque e em seguida coloquei a máscara sobre o rosto.

    Não demorou muito para que eu chegasse a festa que já estava um pouco cheia, peguei uma bebida e comecei a andar sem um rumo certo, estava distraída admirando o local que não vi as pessoas á minha frente até que minha bebida já estivesse sobre eles.

    - Sinto muito! - falava sem graça sem olhar para o rosto das pessoas ali, talvez fosse um bom sinal que eles não me conhecessem, e eu estivesse de máscara, não lembrariam como a "desastrada da festa".

    FANTASIA
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Justin Vonderwood
Hufflepuff
Hufflepuff
avatar

Mensagens : 876
Data de inscrição : 13/08/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qua Jun 20, 2012 12:15 am


I'll be up in the party, looking for a hottie to bone


Meus olhos estreitaram-se, quando enxergaram a figura dela. Nada de romantismo aqui, pfvr. Sempre fui um cara bastante observador – principalmente se estamos a falar de mulheres. Era impossível, mesmo em meio a multidão que se formava lá fora para entrar na casa de John, não identificá-la; seus caracóis vermelho-fogo eram inconfundíveis (o que lhe rendera o apelido pimentinha). Era a primeira vez, então, que nos encontrávamos, em grande público, como 'namorados'. Bizarro pra caralho. Não contive um sorriso, que passava pelo deboche e incredulidade. Levarei algum tempo, confesso, para me acostumar o suficiente com essa palavra escrota: “namoro” - “namorada”. Tempo esse que eu esperava ser apenas o necessário para que todo aquele circo acabasse e eu, finalmente, conseguisse-a levar para cama. Digo, não precisa ser exatamente na minha cama – nem na dela. Em qualquer lugar: na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê. Mordisquei meu lábio inferior levemente, a medida que a distância entre nós diminuiu. Ela se dirigia a John, mas eu sabia que ela não perderia a oportunidade de mostrar o seu namorado para os 'outros'. Afinal, era sobre aquilo que o nosso namoro se tratava, certo? Provar a família dela que não era uma vagabunda – e, para a sociedade, a sua sexualidade. “Gostosa”, pensei comigo mesmo, enquanto ela andava com sua graciosidade de menina pura. Ok.. nem tanto! Meninas puras jamais se vestiriam daquele jeito (é, mesmo em uma festa a fantasia!). Divaguei brevemente sobre a intimidade dela... ela seria virgem? Não era a primeira vez que me pego perguntando isso; no passado, ela andara tanto com o Liam, o seu ex-mai-love, que suspeitava que não. Oras... homens não tem amig”AS”. E Liam nunca foi esse santo que aparenta ser...

Troquei um sorriso cúmplice de malícia quando ela se aproximou. Provavelmente John concordava comigo, mas jamais admitiria que Sophie estava tentadora naquela fantasia; ele tinha medo de morrer – não que eu fosse matá-lo, claro. Eu só... estava dentro do personagem. Até demais! Ela o cumprimentou com um abraço caloroso e, naquele momento, meu sobrolho arqueou-se levemente, em um ato de desconfiança; ela não estava fazendo isso para ~tentar~ me provocar, certo? Se a resposta for sim, lamento (ou não) que é totalmente inútil. Não me afeto com isso. Jamais. Melhor... nunca! Ela me deu um selinho demorado e eu não perdi a oportunidade de brincar com as minhas mãos em seu corpo sedutor. Ela odiava isso – e, às vezes, só agia dessa maneira no intuito de vê-la zangada, irada. Era divertido. Muito divertido. Ela não deixou de notar a óbvia coincidência entre a minha fantasia e a de John, fato que não gerara tanto espanto – quanto pensamos – de terceiros.

- John não tem qualquer dote artístico, ao contrário de mim. - sorri convencido, desviando o olhar brevemente para o garoto, que levou a brincadeira (real) numa boa. - Mas já que sugeriu, posso te mostrar os meus talentos mais tarde. Tenho certeza que o parceiro... - dei dois tapinhas no ombro dele. - liberaria o quarto dele para nós. - mexi os lábios, fazendo com que o sorriso se inclinasse para o canto do meu rosto. Bem coisa de pedreiro, bem “hooooooooje teeeeeeeeeeeem”, mas foda-se. Nem tenho tantas perspectivas nesse relacionamento falso para querer preservar alguma coisa entre nós. Enfim, ela entregou o presente para John e se afastou com as meninas. Segui-a com o olhar até que sumisse no meio da multidão. Voltei o olhar para John. Não pude deixar de gargalhar com o presente que Soph's lhe dera. E depois o troll era eu... - Caralho! - exclamei visivelmente surpreso. A risada cessou para dar chance a um sorriso cretino. - Se ela soubesse que sua vida sexual é um fracasso total, teria escolhido outra coisa. Bem, eu tentei ajudar... - me referi ao “presente” que lhe dei.

Naquele meio tempo, mais pessoas chegaram para falar com John, o aniversariante mimimi dessa história toda. O galãzinho das nove, o princípe do lugar. Me senti avulso, deslocado. Mas sinceramente? Não dei a mínima para esse povo, que fingiu que eu não estava ali, não dando conta da minha existência; o sentimento era recíproco. Bando de otário cuzão. Bando de nada. Quando o assédio feminino – puto sortudo – do meu amigo reduzira, finalmente tivemos tempo para conversar. Me gabei, claro, de estar namorando com Sophie. Sente essa moral toda. Nem precisei implorar por um pouco de atenção; ela me deu mais. Dois beijos. Já era um avanço, certo? E ela não podia reclamar de mim. Aos olhos dela, posso ser politicamente incorreto, mas tenho uma pele boa pra caramba, um corpo razoavelmente atlético e bem trabalhado, e um hálito fresco (isso conta muito)! Recomendei e mirei alguns alvos fáceis para ele, sem me importar muito se ele levaria minhas adiante ou não. John sabia se cuidar sozinho. E quando o fazia, geralmente, se dava muito bem.

- Então eu vou deixar que você curta a sua festa, sem se cansar da minha cara, irmão. - recuei alguns passos, depois de toda aquela conversa corriqueira que tivemos. A companhia de John me fazia bem. Ele não me repreendia ou me criticava. Acho que nos parecíamos bastante (embora reafirme que ele está mais para um perfil de pessoa apropriada para comercial de margarina). - Eu vou tratar de aproveitar a noite com a minha mulher. Você sabe... fazer aquele love básico, saudável. - ri ao mesmo tempo que franzi rapidamente a testa, certo de que John, com o conhecimento que tinha tanto de mim quanto de sua colega de casa, não estava muito crente de que aquele 'amor' acontecia. - A gente se vê mais tarde. - acenei, me virando. Caminhei até aonde a maior parte de pessoas concentrava-se. A pista. Nos arredores, algumas bebidas estavam estrategicamente posicionadas, para que as pessoas se animassem ainda mais. Peguei um copo de vodka e beberiquei. Aprovei. Fazia muito tempo que não bebia aquilo (por se tratar de uma bebida essencialmente trouxa).

Passeei pelo local, procurando – adivinhem quem? - Sophie. A sorte estava do meu lado. Não demorou muito para que eu a avistasse... dançando. Está aí uma cena que me fazia redescobrir Sophie O Donaill. Encoxei-a por trás (porque, sim, sou desses; 'tá me julgando por quê, loser? Para todos os efeitos, ela é minha ~namorada~). Dei uma leve mordiscada no pescoço dela, tomando cuidado para que ela não se virasse, de repente, e quebrasse o copo na minha mão, no meio da minha cara.

- Eu não me lembro de termos conversado sobre as liberdades que cada um poderia ter no relacionamento. - esperei que ela se virasse para mim e me reconhecesse, naquele ambiente escuro, pouco iluminado por feixes coloridos e frenéticos. Sorri. - Digo... você sabe! É um crime quase imperdoável que namoradas saiam por aí, sozinhas, para “dançar” - fiz o sinal de aspas, como se jogasse algo a mais no ar – sem pedir a devida autorização ao seu namorado. - segurei-a no pulso, firme e me postei (comicamente) sério diante aquele teatro, encenado e protagonizado por mim. Tá achando que Justin não sabe ser culto? Pois é, se enganou. Guiei-a fora daquele ambiente barulhento. Continuei o percurso até uma área vazia da casa. Acho que era a área de serviço externa ou coisa assim. A casa dos Mason era absurdamente gigante. Dane-se. O importante era que só estávamos eu e ela agora. - Como punição... - retomei a fala depois de todo aquele tempo. - Serei obrigado a aplicar as leis severamente. - mostrando que Justin Timberlake, digo, Vonderwood é sempre uma caixinha de surpresas, tirei algemas do meu bolso (tô falando, totalmente dentro do personagem – namorado~policial essa noite). Sem lhe dar chances para reagir, prendi um de seus punhos em um buraco e o outro buraco livre em um dos pilares de madeira que sustentava o telhado. Segurei o riso. Sophie dando ataque de histeria em alguns segundos, aguardem.

- Como vê, está presa. E ainda que seja uma réu primária, não posso simplesmente te soltar, sem antes ter a certeza de que isso não acontecerá mais no nosso relacionamento. - tirei um cubo de gelo do copo e deslizei-o suavemente pela nuca da garota. Sabia o quanto isso era “torturante”. - Prove para esse policial, e pobre namorado, que merece ser solta. - sorri debochado. - Caso contrário, lamento, mas como grande defensor das leis, terei que deixá-la aqui. Com toda essa gente bêbada e com os tímpanos estourados pela música, acho que dificilmente alguém te escutaria. - me afastei, mas me mantive ao seu alcance. Sim, os jogos só estavam começando.



06/04 & 09:00 PM



citados gente demais.
post 002.
fantasia POLICIAL.
notas hsausahusah, alguém surtando em breve. enfim, acho que gostei apesar de todas as pausas que fiz aqui. o post da "SURPRESA" vem depois, porque se não ia ficar longo abgaray e DDDDDDDDD:


criado por Giulia @ Ops!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rachel K. D'lacroix
Slytherin
Slytherin
avatar

Mensagens : 4399
Data de inscrição : 03/07/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qua Jun 20, 2012 3:39 am

Mudanças, alguns acham algo bom já outros nem tanto. Mas uma coisa é certa, James havia me feito mudar de uma maneira que nem eu mesma me reconhecia, e o término do namoro com ele me fez voltar a ser como antes, talvez pior. E ali estava eu naquela festa, com a postura mais orgulhosa e arrogante do que nunca, e um sorriso satisfeito e animado delineando o canto dos meus lábios, como se dançar, beber e me divertir fosse a única coisa que me importava naquela noite. Mas não era. E por mais que eu enganasse aos outros, não conseguia enganar quem eu mais queria, eu mesma. Só eu sabia o vazio que estava sentindo no peito, e a melancolia que roubava o sorriso do meu rosto quando não havia ninguém olhando.

Minha vida que sempre foi perfeita estava uma droga, de uma hora para outra tudo começou a desmoronar. Já não saía mais do colégio nem nos fins de semana - as brigas e discursões constantes do meus pais tornavam quase impossível permaner por muito tempo dentro de casa - e ficar no castelo era igualmente torturante já que cada lugar me trazia alguma lembrança de James, isso é quando vez ou outra ele mesmo não cruzava meu caminho. Pra completar todo esse estresse estava me deixando tão irritadiça e mal humorada, que minhas irmãs tinham se afastado de mim a ponto de mal olharem na minha cara. E apesar de tudo isso me deixar muito mal, eu mantinha minha pose inabalável fingindo está tudo bem. Mas não estava.

Se quer mesmo saber, eu não queria estar naquela festa, não queria estar bebendo nem ouvindo aquela música estrondosa em meus ouvidos, não queria sequer estar vestindo aquela fantasia ridícula. Nunca pensei que diria isso mas naquele exato momento eu queria fazer como Shane, e está deitada na minha cama enfurnada dentro de um quarto escuro sem barulho ou ninguém me importunando, só eu e os pensamentos que infelizmente não posso controlar. Tudo o que eu queria era poder fechar os olhos e mergulhar num sono profundo e sem sonhos, longe de tudo e de todos, longe do mundo, só eu e o vazio.

Mas é óbvio que eu nunca contaria como me sinto pra ninguém, nem mesmo demonstraria, porque simplesmente não faz parte de mim demonstrar fraqueza. Por mais que não quisesse, estava naquela festa e em boa companhia, então porque me privar disso? - Eu iria adorar que você usasse de sua autoridade...até deixo me algemar - não contive um riso divertido antes de nossos lábios se selarem novamente. - Algemas são para policiais e amadores, militares da minha patente não precisam disso pra imobilizar e arrancar a confissão de um detido. - sorri metida reforçando minha pose autoritária - Se bem que no seu caso, não seria exatamente uma confissão que eu arrancaria de você... - confessei com um sorriso malicioso, percorrendo seus músculos expostos com o olhar. O loiro era realmente um gato, e beijava bem o que era um ponto á seu favor, mas não era dele que eu gostava, e isso fazia ficar com ele não ter tanta graça quanto eu esperava. - Vem, vamos dançar! - não foi um pedido, simplesmente o arrastei pela mão até o centro da pista de dança e comecei a dançar despreocupadamente na sua frente.

FANTASIA

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophie O Donáill
Ravenclaw
Ravenclaw
avatar

Mensagens : 5075
Data de inscrição : 25/01/2012

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qua Jun 20, 2012 11:23 pm



We independent women, some mistake us for whores
I'm saying, why spend mine when I can spend yours
Disagree, well that's you and I'm sorry
I'ma keep playing these cats out like Atari
Wear high heeled shoes, get love from the Dudes
Four bad ass chicks from the Moulin Rouge

Voulez-vous coucher avec moi, ce soir ?
Voulez-vous coucher avec moi ?(ooh)



x_________________________________________________ {Por meio desta eu pergunto: posso matar Justin Timberlake Vonderwood? }

Todavia antes que você me responda com um SONORO: "SIM, VOCÊ PODE, SOPH!" a pergunta inicial do meu post devo dizer que estava me divertindo (e MUITO) antes de Timberlake deixar de bancar o pajem de Johnny e vir atrás de mim. Também admito que estaria me divertindo muito mais de Laura ou Pink estivessem por ali mas elas foram tragadas pela multidão, então quando Mike me chamou pra dançar eu não vi nenhum problema nisso, desde que ele mantivesse as mãos BEEEEEEEM longe de mim, sim eu quase expressei isso em palavras. Não me culpe, culpe as bebidas, sou fraca pra elas, se é que você me entende mas se você entende ou não, não é relevante nessa hora, porque eu estava prestes a dizer que a minha dancinha animada foi atrapalhada pelo Timberlake que se aproximou... como dizer isso sem xingá-lo por todos os nomes possíveis e imagináveis? Hmmmm... não sei, então pulemos essa parte.

Timberlake escreveu:
- Eu não me lembro de termos conversado sobre as liberdades que cada um poderia ter no relacionamento.

O fato é que o meu AMADO namorado de MENTIRA (vamos frisar isso bem, ok) se aproximou daquele modo grosseiro de sempre e não precisei ouvir a sua voz pra saber que a única criatura que tinha a cara lisa de se aproximar daquele modo era ele. A minha intenção era ignorá-lo e continuar bem como estava, porém, como você já deve saber para minha total desgraça nenhuma palavra de Timberlake vem desacompanhada de ação, certo? E também não é novidade nenhuma que algumas dessas ações geram reações nesta pessoa que vos escreve, certo? Também é certo que ele JAMAIS saberá disso, todavia não se preocupe, eu não estou me apaixonando (ARGH!) por aquele estrupício, tais reações, como TODOS sabem, nada mais são do que reações instintivas dos nossos corpos. Enfim, me virei para encará-lo que, cínico como é, me sorria; sorri de volta (não, não entenda isso como simpatia, é apenas mais um dos efeitos que o alcool tem sobre mim) - E até onde me lembro, festas não são os lugares apropriados pra se discutir isso, amorzinho- e ele continuou, enquanto as pessoas ao redor passavam a prestar mais atenção em nós. Ótimo, eles iam se deleitar com isso, patéticos.


Timberlake escreveu:
- Digo... você sabe! É um crime quase imperdoável que namoradas saiam por aí, sozinhas, para “dançar” - arqueei a sobrancelha esquerda num gesto que seria lido por qualquer um como uma ironia em resposta a colocação dele – sem pedir a devida autorização ao seu namorado.

- Timberlake, amorzinho, você é meu namorado não meu dono, logo não tenho que te pedir autorização pra nada- sorri em contrapartida ao ar sério dele quando fui surpreendida pelo gesto dele de me segurar pelo pulso e me arrastar de lá como se eu fosse...hmmm... sei lá... uma boneca de pano?! - Hey... quer parar com isso?! - acho que repeti essa frase umas duas, três vezes, enquanto deixávamos a pista em direção a... sei lá pra onde ele estava me levando. Ouvi algum imbecil gritar pra Justin que os quartos eram no segundo andar e que estava indo para o lado errado e juro que se eu não estivesse tão preocupada com fato de ter meu pulso torcido, ou coisa do tipo (exagerada?! Neeeeemmm), teria azarado esse demente. Nesse meio tempo, tentei soltar meu pulso algumas vezes (sem sucesso. Nota mental: um dia vou aprender defesa pessoal, dizem qua ajuda nessas situações...), voltei a 'pedir' que ele me soltasse-Justin, será que dá pra você me soltar?! Não tem ninguém aqui! - olhei ao redor e notei que realmente não tinha alma viva naquele lugar - De verdade, se você queria bancar o 'namorado ciumento', podia, pelo menos, ter soltado assim que saímos de lá e não precisava ter me arrastado pra cá onde não há viva alma, certo? Ainda assim devo dizer que foi uma bela interpretação mas... será que podemos voltar pra festa agora?

Timberlake escreveu:
- Como punição... - do que diabos ele estava falando? O encarei com a minha famosa "cara de ué" - Serei obrigado a aplicar as leis severamente.

- Do que, pelo amor de St Patrick, você está falando, criatura? - será que ele JÁ estava bêbado? Sim, porque isso soava como papo de bebum, se querem saber. Foi quando o vi sacar um par de algemas e, confesso, gelei afinal ele tem um ar de psico...E se já estava bêbado...bem, tudo era possível! É... antes eu tivesse controlado meus pensamentos porque no milésimo de segundo seguinte lá estava ele, me algemando. O QUE?! - TIMBERLAKE, SEU IDIOTA, O QUE VOCÊ FEZ??? QUE BRINCADEIRA IMBECIL É ESSA?

Timberlake escreveu:
- Como vê, está presa.

- Sério, gênio?! E você descobriu isso sozinho?! - respirei fundo enquanto tentava tirar aquela coisa do meu pulso - Ok...- 1,2,3 respira - eu não gostei da brincadeira então se não quiser que eu estrague a sua droga de noite, pode, por favor, me soltar?- sim, eu sei pedir com jeitinho quando quero. Ou preciso. Nessa caso, preciso. Então ele continuou.

Timberlake escreveu:
-E ainda que seja uma ré primária, não posso simplesmente te soltar, sem antes ter a certeza de que isso não acontecerá mais no nosso relacionamento.

- Como assim não pode SIMPLESMENTE ME SOLTAR? O que é isso, garoto? Andou decorando as falas de Law & Order? E sobre o nosso relacionamento,amorzinho ele é de mentira, lembra?! - observei quando ele tirou um cubo de gelo do copo e...- Nem pense nisso...- sibilei mas ele nem deu bola, deslizou o maldito cubo pela minha nuca e só posso dizer que nunca entoei tanto o meu mantra de 'isso não me afeta', como naqueles segundos, bem como mantive a expressão mais indiferente possível no rosto. Ao passo que Justin, continuava com a lenga lenga

Timberlake escreveu:
- Prove para esse policial, e pobre namorado, que merece ser solta.

Ele deu aquele maldito sorriso debochado que SE fosse em qualquer outro cara eu consideraria um charme mas que nele era irritante e emendei - Já acabou o show? Porque eu JÁ cansei da sua interpretação...

Timberlake escreveu:
- Caso contrário, lamento, mas como grande defensor das leis, terei que deixá-la aqui. Com toda essa gente bêbada e com os tímpanos estourados pela música, acho que dificilmente alguém te escutaria.

Arregalei os olhos diante dessa última fala. O que? Ele... -Você não faria isso...- pausei - Sim, você faria. COM CERTEZA, faria... - eu ri -Qualquer coisa pelo prazer sádico de me ver humilhada não é? - o encarei a raiva que estava sentindo naquele momento era quase palpável - Vou te dar uma chance, você tem 5 segundos pra me soltar, Timberlake...começando a contar de agora - contei mentalmente os 5 segundos e ante a falta de reação do ser emendei-Certo... não vai mesmo ajudar a sua namorada? Tudo bem... - espalmei as mãos e pensei -Cistem Aperio- em menos de dois segundos estava solta. Abri os olhos e lhe ofertei o meu melhor sorriso - Primeira lição do dia: não se prende Sophie O Donáill tão fácil assim, meu amor- dei lhe um leve empurrão e as costas, prestes a deixá-lo ali sozinho. Certo, eu podia receber uma notificação por usar feitiços fora do Castelo, mas antes isso do que ficar ali à mercê daquele louco. Sim, nós tínhamos um acordo mas esse acordo nem de longe dizia que Timberlake podia fazer algo assim.

Citei: PINK,LAURITCHA FURACÃO, JOHNNY & MIKE (NPC). Falei com: TIMBERLAKE. Vestindo: isso
Feitiço: Cistem Aperio = Irrompe ambientes e/ou objetos.
Edições, já sabe.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miranda M. Shitzeens
Slytherin
Slytherin
avatar

Mensagens : 4211
Data de inscrição : 03/03/2012
Localização : Boca da Cornucópia *¬¬*

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Qui Jun 21, 2012 9:20 pm

Eu nunca... Eu nunca imaginei que ele iria me perdoar. Mas bem, Chaos tem o coração bem grande, se é que você me entende. E nem ligo pro fato das irmãs dele me odiarem ou não, eu o amo, e que se dane o resto. Logo fui puxada para um beijo, que eu nunca esqueceria, realmente. Assim que nos separamos, me abaixei para pegar a bola de basquete que ele tinha deixado cair no chão ao me beijar. Chaos me levou para um sofá, não muito longe de onde estávamos, e então me sentei em seu colo e passei os braços em torno do pescoço dele, usando uma das mãos para acariciar sua nuca, enquanto a outra brincava com seu cabelo – Você adora me mimar né? – esforcei o máximo para fazer uma cara de anjinha e então sorri – Bem, ultimamente? Nenhuma novidade relevante... – mordi o lábio inferior, pensando se ele já descobrira sobre a matéria da Radio Corredor. Balancei a cabeça levemente para tirar alguns fios do rosto e olhei para os lados, vendo à distancia um grupo animado, em que lá estavam: Pink, Potter, Chloe, Artemis e Augustine. Pareciam bem animados, mas eu não ia deixar Chaos de lado pra ir bater papo com as garotas. Só rezei para que Laura não me encontrasse ali, ou ela ia se sentar ao nosso lado e ficar conversando com O MEU namorado.
- Você ficou muito lindo com essa fantasia, sabia? – disse rindo enquanto olhava fixamente nos olhos dele. Eu não estava mentindo, longe de mim. Pra que mentir sobre um fato que é verdade? – Não tive a mesma sorte que você pra arrumar uma fantasia, como pode ver, a minha é um belo lixo – desviei o olhar para meu vestido. Uma palavra para defini-lo? Ridículo. Mas para minha sorte, ele não tinha comentado nada ainda. Aposto que se Felicia ou Kaya aparecessem por ali, estariam falando que era horrível e perguntando se eu não tinha nada melhor para vestir. E ai, eu ia perder a cabeça e tentar matar elas usando um taco de quadribol, mas acho que não ia dar muito certo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Justin Vonderwood
Hufflepuff
Hufflepuff
avatar

Mensagens : 876
Data de inscrição : 13/08/2011

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Sex Jun 22, 2012 3:56 pm


I'll be up in the party, looking for a hottie to bone


Sophie, pra variar – ou não -, já soltava cobras e largatos. O que eu posso dizer sobre isso? É totalmente excitante vê-la tão zangada; sim, em todos os sentidos. Até porque, de certa maneira, é assim que eu percebo que eu lhe provoco, mexo com os seus instintos mais selvagens e essa porra toda. Você já assistiu cine privê alguma vez na vida? Geralmente os casais – não somos um mas foda-se – antes de fazer sexo, brigam bastante, para extravasar tudo na cama. Não quero me tornar repetitivo, mas é apenas uma questão de tempo para que eu consiga fazer um love – estou tentando ser recatado, menos vulgar, não me julguem. Para ela, aquela brincadera que eu inventei era idiota, mas tenho certeza que ela me agradeceria futuramente, por apimentar o nosso relacionamento, ainda tão entediante quanto tantos outros em Hogwarts; porque, cacete, 'cê já viu aquelas merdas de casais andando de mãos juntas, jurando amor eterno, mas nas costas, metendo chifres? Haja talento para ser falso moralista, velho. Ao menos eu jogava aberto com Soph's – e não tinha pulado a cerca.

Ela duvidou de mim, pelo olhar, e verbalmente. Soph's tinha muito o que aprender ainda. Soldado Timberlake não brincava em serviço. Sorri diabolicamente e foi aí que ela percebeu que eu, definitivamente, não teria problema algum para largá-la ali, até que fosse encontrada por um qualquer. Eu não me importo; eu também não me importo caso ela tente, depois desse episódio, se divertir com outros garotos. Soph's é bonita e gostosa. Desejável. Sei que muito marmanjão cheio de cabelo no saco daria tudo para estar no meu lugar. Porém, se isso acontecer, eu também não hesitaria em, basicamente, voltar a ser eu mesmo. Ela afirmou que eu a gostava de ver humilhada. Acenei negativamente, mas ainda mantinha o sorriso na boca.

- Isso não é uma humilhação, pimentinha. - o sorriso se transformou em uma risada malandra. A sua raiva parecia crescer a cada segundo em que eu movia os meus lábios. - Pense que é, hm, como um fetiche. É. - o sorriso se entortou, inclinando-se no canto da minha face esquerda. - Pode confessar. Eu sei que o seu sonho sempre foi ser abordada por um policial gostoso como eu. - se ela continuasse levando aquilo tão à sério, eu iria agir como se estivesse numa daquelas cenas de comédia americana de filmes americanos toscos. Eu sabia que ela detestava isso. De nada adiantou. Me deu cinco segundos para que eu a soltasse. - Não vou te soltar. - direto ao ponto mesmo!

Sophie pronunciou algo quase inaudível aos meus ouvidos, já que eu estava impressionado demais com o que ela, no minuto seguinte, fizera. Soltara as algemas com a fuckin porra da força do pensamento ou algo desse gênero. Tentei não fingir tanto espanto, mas era meio que impossível, entende? Eu, realmente, não esperava por isso. Com aqueles cabelos mais vermelhos do que pimentão, talvez ela fosse uma parente do coisa ruim. Só podia. Ela ironizou, ao passar por mim, e me deu um leve empurrão. Não a hesitei em lhe seguir. Posso falar, viu. O feitiço praticamente se viro contra o feiticeiro.

- Espera aí. - segurei em seu pulso. Dessa vez, mais leve e suave. Não queria que ela assustasse (ou me agredisse, pois tinha motivos agora). Esperei que ela se virasse. - Você sabe que eu ia te soltar. Eu só estava brincando um pouco. Desencana, vai. - eu sei que isso não era o bastante para Sophie, mas THEFODASTIC Justin era orgulhoso demais para pedir um perdão. Antes que ela, de fato, fosse embora e sumisse da minha vista pelo resto da festa (e da semana, é provável), continuei. - Tudo bem, não vou te impedir de aproveitar a festa, mas quero que você me dê só alguns minutos... - de um dos bolsos da minha calça, tirei uma caixinha preta, discreta, e coloquei-a na palma da minha mão. Creio que é óbvio DEMAIS do que isso se trata. Não contei com a ajuda de ninguém, para fazer aquela escolha. Foi caro pra cacete, então esperava que valesse a pena. Abri lentamente, mas sem fazer muito suspense. - Não seria um namoro sério, sem essa coisa, né? - merda. Eu falei mesmo namoro sério? Por quê ela quer que seja sério para os outros, mas eu não. Enfim... já fiz essa lambança de bosta toda, não tem como voltar atrás. - Me dá sua mão. - eu não tive paciência para que ela me desse. Ou talvez, lá no fundo, tenha achado que aquilo ficaria romântico demais. Coloquei o anel, com cuidado, no dedo de Sophie e sorri para ela. - Não se preocupe, você pode se desfazer disso quando isso tudo terminar. Não faço questão de alguma consideração. - somos parceiros, certo? Eu também daria um fim no meu e tudo de boa na lagoa, velho.



06/04 & 09:00 PM



citados gente demais.
post 003.
fantasia POLICIAL.
notas ~alianças aqui (clicanimim). AI MDEAIDS MEU DEUOSAJDO ASDO CEU CAEISC JSJA SJUSAJDPAS JUSPHIE OTP FOREVER ASHOODISAHDIOSAHBISADQW WQOPWQ


criado por Giulia @ Ops!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sophie O Donáill
Ravenclaw
Ravenclaw
avatar

Mensagens : 5075
Data de inscrição : 25/01/2012

MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   Seg Jun 25, 2012 5:12 pm



We independent women, some mistake us for whores
I'm saying, why spend mine when I can spend yours
Disagree, well that's you and I'm sorry
I'ma keep playing these cats out like Atari
Wear high heeled shoes, get love from the Dudes
Four bad ass chicks from the Moulin Rouge

Voulez-vous coucher avec moi, ce soir ?
Voulez-vous coucher avec moi ?(ooh)



x_________________________________________________ {Por meio desta eu pergunto: posso matar Justin Timberlake Vonderwood? }

AHÁ! Eu podia notar pela cara de Timberlake que ele estava surpreso, não me surpreende afinal não é todo dia que as pessoas encontram alguém com facilidade para avaração, segundo papai é uma habilidade bastante rara e ainda segundo ele na nossa família o último avarador tinha sido meu bisavô. Já estava deixando Timberlake com seu senso de humor...hmmm... exótico e voltando para a festa quando novamente ele interceptou meus passos, segurando-me pelo pulso desta vez de modo mais delicado, admito.

Timberlake escreveu:
- Espera aí.

Voltei meu olhar para ele - O que você ainda quer?

Timberlake escreveu:
- Você sabe que eu ia te soltar.- arqueei uma das sobrancelhas e o encarei com aquela expressão de 'não acredito em uma palavra do que você diz - Eu só estava brincando um pouco. Desencana, vai.

Suspirei pesarosa, afinal ainda estava me controlando pra não azarar o garoto ali mesmo ( e olha que eu não ia me sentir nada culpada) - Tudo bem, Timberlake, já teve a sua lição - sorri me referindo ao meu momento avaradora já que duvido que ele sequer tenha imaginado algo do tipo na vida. Pensei que ele fosse dar por encerrado esse momento quando o garoto desembestou a falar.

Timberlake escreveu:
- Tudo bem, não vou te impedir de aproveitar a festa, mas quero que você me dê só alguns minutos...

Observei ele retirar alguma coisa do bolso e emendei- Olha se for outra algema eu juro que dessa vez EU prendo você, Timberlake.- foi aí que percebi do que se tratava e não... não era nenhuma algema, ou talvez fosse...tudo depende do ponto de vista e talvez na do Timberlake fosse...- Você não...- não continuei porque ele interviu.

Timberlake escreveu:
- Não seria um namoro sério, sem essa coisa, né? - tá eu queria, não no sentido, de namoro sério mesmo mas para convencer papai precisava que ele não pensasse que aquilo era um lance de uma noite e nada mais. Ainda assim eu estava surpresa que Timberlake houvesse pensado justamente naquele detalhe. É, às vezes, ele me surpreendia, admito. - Me dá sua mão.

Ele pediu e no instante seguinte lá estava ele tomando minha mão e colocando o tal anel, aliança, wherever e sorrindo como se fosse a coisa mais comum da parte dele - Justin, isso não era necessário - ou era? - quero dizer, não são todos os - pausa porque a palavra era forte - casais - ufa! e olha que nem doeu...ok, doeu um pouco sim, enfim.. - usam alianças e você deve ter gasto um bom dinheiro nisso...

Timberlake escreveu:
- Não se preocupe, você pode se desfazer disso quando isso tudo terminar. Não faço questão de alguma consideração.

- Típico de você...- balancei a cabeça e tentei não sorrir com o momento troll dele - Ainda assim quando isso acabar daqui a umas semanas, eu te devolvo e você faz o que quiser com ela, ok? - sim, eu já estava de melhor humor. Fazer o que? Sou bipolar mesmo e daí? Todo adolescente é! Foi aí que me lembrei de duas coisas. 1) Não poderia voltar para a festa de aliança no dedo e sem Timberlake a tiracolo, certo? 2) Papai viria no próximo final de semana para uma reunião com o pessoal da Liga de quadribol em Londres e sugeriu que eu levasse o Timberlake para um jantar ou coisa do tipo. Papai e suas tradições irish... Enfim, aproveitei a brecha - Bem... aproveitando o seu gesto, papai pediu que o convidasse para o tradicional jantar dos O Donaill, no próximo final de semana, já que ele estará em Londres para uma reunião...então se você puder comparecer, melhor porque quanto antes essa farsa começar, mais rápido ela termina não é? - sorri e nem dei tempo para ele responder - A outra coisa é...- estendi a mão pra ele - Depois disso... - indiquei a aliança- Você vai ter que voltar comigo pra festa, não deve cair bem eu aparecer lá de aliança no dedo e sem namorado...Que me diz? Além do que precisamos mostrar para as pessoas que não te matei e enterrei nos jardins dos Mason. - Seriam apenas umas poucas horas de interpretação, nós aguentariamos...não é?

Citei: PAPAI. Falei com: TIMBERLAKE. Vestindo: isso
Edições, já sabe.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
FESTA DE JOHN MASON - 6 de Abril (21hrs).
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» Entrevista a Masashi Kishimoto na Jump Festa 2012
» John McGregor
» Festa de Natal
» Projeto Destaque do mês de Abril
» [Teste Teórico] John Cilan

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Residência Mason-
Ir para: